Papa critica a ganância por bens materiais e pede mais simplicidade na Missa do Galo

Francisco sugere que o homem tenha momentos de reflexão sobre a necessidade de uma vida cheia de supérfluos e aprenda a compartilhar. Para ele, é preciso superar o egoísmo e o consumismo.

papa Francisco apontou para a “ganância insaciável” e a ostentação de bens materiais durante a Missa do Galo celebrada nesta segunda-feira (24), na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Para ele, o homem deve refletir sobre a necessidade do supérfluo.

Durante a homilia, o papa citou os costumes egoístas aderidos pela humanidade, citando que “os alimentos do mundo não saciam o coração” e que, para muitos, a vida consiste em possuir bens materiais.

Para ele, o homem deve passar por momentos de reflexão: “será verdade que preciso de tantas coisas, de receitas complicadas para viver? Quais são os contornos supérfluos de que consigo prescindir para abraçar uma vida mais simples?”

Papa Francisco faz a tradicional homília na véspera de Natal — Foto: Reuters

Papa Francisco faz a tradicional homília na véspera de Natal — Foto: Reuters

Francisco completou dizendo que é preciso superar o egoísmo e evitar cair “na mundanidade e no consumismo”.

“Diante da manjedoura, compreendemos que não são os bens que alimentam a vida, mas o amor; não a voracidade, mas a caridade; não a abundância ostentada, mas a simplicidade que devemos preservar”, disse ainda.

Francisco não só criticou a ostentação em abundância e indicou caminhos para a simplicidade, mas também falou sobre dividir o pão – ou seja, as pessoas não só acumulam riquezas e as ostentam, mas também não ajudam quem vive em más condições. “Não devorar e acumular, mas partilhar e dar”, apontou o papa.


Pax Primavera