SIG esclarece assassinato de gerente de frutaria e prende mãe e filhos moradores em Nova Alvorada do Sul

Policiais lotados no SIG (Setor de Investigações Gerais) da delegacia de policia civil de Rio Brilhante, concluíram nesta terça-feira( 13) uma longa investigação apos o assassinato do gerente de frutaria, Dorli Chimenes Taranta de 35 anos que foi morto em um crime de latrocínio -roubo seguido de morte.

Foi presa hoje, Monica Espíndola (47) e dois filhos dela, um adolescente de 17 e uma menina de 16, acusados de esfaquear e asfixiar a vítima ate a morte. O crime ocorreu dentro da casa onde o gerente morava na Av. Lourival Barbosa próximo ao hospital, em 01 de dezembro de 2015, mas o corpo só foi encontrado três dias depois. Apos ficar três dias desaparecido, Dorli foi encontrado já em estado de decomposição dentro da quitinete.

De acordo com o delegado do caso, Andre Luis de Mendonça Fernandes, mãe e casal de filhos tiveram participação direta no crime. Segundo a autoridade policial, o adolescente chegou a morar com a vítima que era homossexual e ainda trabalhou como diarista na frutaria onde Dorli era gerente, serviço esse conseguido pela vítima.

Ao tomar conhecimento que Dorli receberia uma quantia aproximada de três mil reais, o adolescente  teria tramado o roubo, para isso contou com a ajuda da mãe e da irmã de 16 anos, que na época  tinha 14 e ele 15. A menor teria ficado ”cuidando”, a casa enquanto o irmão e a mãe praticavam o crime.

Andre, explica que os três foram ate a casa de Dorli, e como já se conheciam, inclusive  a vítima ate comprava lanches para a família, eles não tiveram problemas para entrar na residência.

Porem quando anunciaram o roubo houve reação por parte de Dorli que foi atingido por uma paulada na cabeça, e desmaiou. Em seguida foi esfaqueado no peito, o que o levou a morte. Em seguida o corpo foi enrolado em um cobertor e teve um saco plástico colocado na cabeça.

Foram roubados um celular a bicicleta e uma certa quantia em dinheiro de Dorli.  Segundo o delegado, o trio passou a ser investigado logo apos o crime, porem no decorrer das incursões, eles chegaram a ir ate a delegacia e apontar supostos autores, para tentar prejudicar as investigações.

”Durante esse tempo, depoimentos foram colhidos e provas foram juntadas no inquérito, como fala de testemunhas e áudios de conversas entre os envolvidos para se chegar ate os acusados”,

relata o delegado.

Os três que estavam morando em Nova Alvorada do Sul foram detidos nesta terça-feira e conduzidos para delegacia de Rio Brilhante onde o caso era apurado. Monica teve a prisão preventiva decretada pela justiça enquanto os dois filhos dela foram apreendidos e por serem menores devem ser encaminhados a UNEI.

O adolescente confessou o crime, já a mãe e a irmã negam.  Todos responderão por latrocínio, crime hediondo cuja pena varia de 20 a 30 anos de reclusão em caso de condenação. No caso dos menores poderão permanecer em unidade de internação ou socioeducativa no máximo ate os 21 anos.

O CASO

Dorli veio para Rio Brilhante para trabalhar em uma frutaria. O corpo foi encontrado com uma coberta enrolada na cabeça,um golpe de faca no tórax, a faca de serra ficou cravada na vítima, e um saco plástico na cabeça. Celular e bicicleta de Dorli não foram localizados na residência.O Corpo de Dorli Chimenes Taranta, 35 anos, natural do município de Jardim (MS), foi localizado por volta das 10h30 min da manhã de hoje, (03), no interior de uma kit net na Avenida Lourival Barbosa, próximo ao hospital.

Perito realizando levantamentos no dia do crime. / Foto: Olimar Gamarra

Informações apuradas dão conta que a vítima seria homossexual. O patrão da vitima esteve na delegacia da cidade na manha de hoje (03) onde registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento do funcionário. De acordo com o patrão Dorli trabalhou ate o meio dia da ultima terça-feira, e desde então não conseguiu mais contato com ele. Tanto é que o celular da vitima só dava desligado ou fora de área.

Após o registro da ocorrência, policiais civis foram ate a casa e precisaram arrombar a porta, pois estava chaveada e a chave não foi encontrada.

Assim que entraram se depararam com o corpo já em estado de decomposição em cima de um colchão, vestido apenas com um shorts jeans.

Uma vizinha disse a polícia que na noite de terça-feira viu um homem saindo da casa com uma bicicleta porem ela não conseguiu identificar quem era.

Policias civis e pericia técnica de Dourados estiveram no local do crime realizando levantamentos.

Fonte:Rio Brilhante Tempo Real

Pax Primavera