Arcebispo pede pátria amada ao invés de “pátria armada”

Arcebispo teve fala aplaudida durante missa em Aparecida - Crédito: Aloisio Mauricio/Fotoarena

Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, ainda relatou que país precisa parar com mentira e fake news

Dom Orlando Brande, arcebispo de Aparecida, em São Paulo, usou um minuto da missa de celebração para o dia de Nossa Senhora Aparecida, nesta terça-feira (12), para pedir um país mais consciente, sem mentiras e com mais cara de pátria amada do que pátria armada.

“Para ser pátria amada seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos os irmãos construindo a grande família brasileira”, disse.

A fala do religioso foi aplaudida pelos fiéis presentes na igreja neste feriado de celebrações para a padroeira do país.

Em nenhum momento Dom Orlando indicou sobre qualquer político, mas o slogan de “pátria amada” e facilitar o acesso às armas e munições é uma das bandeiras de Jair Bolsonaro enquanto concorria a presidência da república ainda como deputado federal.

No mês passado, o presidente voltou a reforçar, em conversa com apoiadores, o seu discurso armamentista e afirmou saber que um fuzil custa caro, mas pediu a quem não quer comprar a arma que não “encha o saco” daqueles que desejam.

Durante sua fala, Dom Orlando também pediu que o povo “abrace o Brasil enlutado” pelas mais de 600 mil mortes pela covid-19, segundo o UOL.

Refiz Rio Brilhante