Bolsonaro muda versão e admite haver ‘casos isolados’, mas não ‘corrupção endêmica’ no governo

Bolsonaro muda versão e admite haver 'casos isolados' de corrupção no governo durante evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) Reprodução

Por Alice Cravo e Daniel Gullino

Presidente costumava dizer que não havia nenhum caso de irregularidade em sua administração

Após anos dizendo que não havia nenhum caso de corrupção em seu governo, o presidente Jair Bolsonaro mudou o discurso e admitiu nesta quarta-feira que há “casos isolados” de irregularidades. Bolsonaro disse, no entanto, que não há “corrupção endêmica”.

A mudança de postura ocorreu após a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, ocorrida semana passada, por suspeitas de envolvimento em corrupção e tráfico de influência durante sua gestão. Ribeiro foi posteriormente solto, mas segue sendo investigado.

— Bem como o combate à corrupção. Isso nós estamos muito bem no governo. Não temos nenhuma corrupção endêmica no governo. Tem casos isolados que pipocam e a gente busca solução para isso — discursou Bolsonaro, durante evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O discurso contra a corrupção foi um dos pilares de Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018 e continuou sendo muito utilizando durante seu governo. Em março, por exemplo, o presidente afirmou que não havia “qualquer denúncia de corrupção” em seus ministérios

— E quando se fala em corrupção, nós temos que falar: três anos e três meses sem qualquer denúncia de corrupção em nossos ministérios. Tentam a toda maneira nos igualar com quem nos antecedeu, mas não conseguirão, porque é um governo que acima de tudo tem profundo respeito pela sua população.

A prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, no entanto, é somente o caso mais recente envolvendo suspeitas de corrupção no governo. No quarto ano de mandato, a gestão de Bolsonaro — que se elegeu tendo o discurso anticorrupção como tônica de sua campanha — já acumula acusações e investigações que envolvem ministros e importantes estruturas de governo.

Fonte:O Globo

Assomasul Corredor Bioceanico