Bombeiros de MS atuam em incêndio de Parque Nacional na divisa com Paraná

incêndio que atinge o Parque Nacional de Ilha Grande desde a semana passada na divisa com o Paraná, agora conta com o apoio do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a queimada começou no dia 11 de agosto, mas inicialmente, o combate às chamas era feito apenas pelos Bombeiros do Paraná.

Com a queimada prestes a completar 10 dias, o Corpo de Bombeiros de MS foi acionado para o apoio. A unidade encarregada da ocorrência é a dos municípios de Mundo Novo, Eldorado, Iguatemi e Japorã.

“Esse incêndio encontra-se na área do CBMPR (Corpo de Bombeiros Militar do Paraná), a atuação do CBMMS é somente um apoio”, disse em nota. De acordo com os Bombeiros de MS, os militares atuam com a confecção de aceiros, que são faixas ao longo das cercas onde a vegetação foi completamente eliminada da superfície do solo. A finalidade é prevenir a passagem do fogo para área de vegetação.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros e MS, os militares ainda utilizam abafadores e fogo-contra-fogo. “Também está sendo utilizado uma aeronave, por parte do Paraná, para o monitoramento do avanço do incêndio”.

Ventos e tempo seco dificultam combV

Na última quinta-feira (15), o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), órgão gestor do parque, informa que, de 76 mil hectares do Parque, 32,5 mil hectares da área foram atingidos pelo fogo – 29 mil hectares na Ilha Grande e 3,5 mil hectares na várzea continental. Não há dados atualizados sobre a queimada, mas alguns jornais chegaram a noticiar que 61% do Parque foi consumido pelo fogo.

O fogo começou na região da Praia de Paracaí no dia 11 de agosto e na Lagoa de Jatobá na noite do dia 13 de agosto. Em MS, foi a partir da noite da terça-feira passada (13) que os moradores perceberam o fogo. Em Itaquiraí, a 402 km de Campo Grande, um leitor entrou em contato com o Jornal Midiamax. Ele contou que conseguia avistar as chamas de casa e que a fumaça chega até sua residência, que está coberta de fuligem. Ele mora a 2 km do Parque Nacional. “Que tristeza. Ali tinha muitos animais, que devem estar mortos”, lamentou.

De acordo com o ICMBio, o fogo, que tinha dois focos, foi se alastrando e se dividindo em vários outros focos. Há duas frentes de combate nas áreas mais graves, uma no norte da várzea continental e outra no sul de Ilha Grande.

Não chove no Parque Nacional há 28 dias e há ventos de 50 km por hora. Segundo o Instituto, há dificuldades no combate ao fogo, como acúmulo de combustível, solo hidromórfico, altas temperaturas durante o dia e baixas durante a noite e ventos fortes com rajadas.

O Parque Nacional de Ilha Grande fica localizado na Bacia do Rio Paraná, na divisa de MS com o Paraná, sobre o arquipélago fluvial de Ilha Grande. O Parque abrange nove cidades: Mundo Novo, Eldorado, Itaquiraí e Naviraí, no Mato Grosso do Sul e Guaíra, Altônia, São Jorge do Patrocínio, Alto Paraíso e Icaraíma, no estado do Paraná.

Apesar do incêndio que dura dias, há indícios de que parte dos animais sobreviveu. Uma mãe e um filhote de cervo foram vistos buscando refúgio na área verde que resistiu ao incêndio.

“Os animais com o avanço do fogo rápido, já estão se abrigando em áreas que ainda estão verdes. Mesmo aqueles animais que usam a estratégia de se entocar, existe grande chance de que eles tenham sobrevivido”, disse o chefe do parque Erick Xavier ao jornal Boa Noite Paraná.

Fonte:Midiamax

Pax Primavera