CPI da Covid ouve Queiroga pela segunda vez e deve questionar autonomia na Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em seu primeiro depoimento na CPI Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado

Após respostas consideradas evasivas, ministro da Saúde deverá responder sobre suspensão da nomeação da infectologista Luana Araújo e realização da Copa América no Brasil

A CPI da Covid no Senado retoma os trabalhos nesta terça-feira com um novo depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Após ter as respostas consideradas evasivas por parte dos senadores, ele deverá ser questionado sobre a realização da Copa América no Brasil e sobre a existência de um “gabinete paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro nas ações de combate à pandemia de Covid-19.

Os planos para uma nova participação de Queiroga chegaram a ser adiantados pelo temor de uma terceira onda de infecções e recorrentes participações de Bolsonaro em atos com aglomeração, mas os novos acontecimentos aumentaram o peso do segundo testemunho do médico cardiologista. Em depoimento à comissão na última semana, a infectologista Luana Araújo, que havia sido convidada por Queiroga para integrar sua equipe e foi barrada pelo governo, apontou que a saída teria sido motivada por pressões do governo no enfrentamento à pandemia, que não teriam sido aceitas por ela.

Fonte: Agência Brasil

gov ms