Família de Apucarana capota carro após desviar de tamanduá em rodovia em Nova Alvorada do Sul

Foto Rones Cezar/Alvorada Informa

Acidente ocorreu nesta sexta-feira (04), na rodovia BR-267, entre nova Alvorada do Sul e Casa Verde, Moradores de Apucarana.

Um motorista identificado como sendo Élder Adriano Parroti  de 38 anos ficou ferido após capotar seu veiculo Toyota Corolla com placas AXP 1829 de Apucarana (PR), na noite desta Sexta-feira (4) na rodovia BR-267, a 80 quilômetros de Nova Alvorada do Sul. Segundo informações do motorista, Élder Adriano Parroti, 38 anos, no veiculo tinha 5 pessoas, Élder o motorista, Inês Seresuna,37 sua esposa, Iara sua filha 18 anos, Doroteia sua sogra, 60 anos e Seu sogro João Carlos, 73 anos,  foi tudo muito rápido quando percebeu teria perdido o controle do carro após desviar de um tamanduá-bandeira que estava parado no meio da pista. Quando ao desviar perdeu totalmente a direção do carro vindo a capotar por varias vezes.

O acidente ocorreu por volta das 20h e envolveu apenas um veículo de passeio Toyota Corolla placas AXP 1829 de Apucarana (PR). Segundo relato do motorista estava vindo em dois veículos, com destino a Capital Campo Grande onde passariam o final de semana. Todas as 5 vitimas foram socorridas pela equipe de Bombeiros de Nova Alvorada do Sul e Bataguassu, o motorista nada sofreu, mas seu sogro Joao Carlos, 73 anos teve um corte profundo no pescoço do lado esquerdo e nesse momento esta sendo transferido com vaga zero para o Hospital Regional de Campo Grande, e seus familiares estão sendo medicados pela equipe de médicos e enfermeiros do Hospital Francisca  Ortega de Nova Alvorada do Sul.

O carro ficou totalmente destruído e terá que  que ser guinchado. O Corpo de Bombeiros informou que a pista não chegou a ser interditada.

Animais na pista

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), para desviar dos animais, os motoristas fazem manobras arriscadas e elas já estão entre as principais causas de acidentes nas rodovias de Mato Grosso do Sul. Ainda segundo a PRF, a maior parte dos atropelamentos de animais silvestres acontece das 18h às 20h porque é um período em que a visibilidade na estrada fica reduzida e é mais difícil perceber a presença de um animal na pista.

Segundo informações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), uma média de oito mil animais silvestres morre atropelado todos os anos nas estradas do estado.

 

Pax Primavera