Levantamento da Sejusp aponta êxito nas ações de combate à criminalidade em Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul segue apresentando bons números no que se refere a segurança pública. Balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), dos meses de janeiro a setembro de 2021, mostra queda nos índices de criminalidade, se comparado ao mesmo período do ano passado.

O destaque está em Campo Grande, que obteve queda expressiva de 88,9% nos crimes de feminicídio. Em 2020, nove mulheres foram vítimas, enquanto em 2021, apenas uma. A Capital também teve queda nos crimes de homicídio doloso (-16,5%), homicídio culposo no trânsito (-8,7%), roubo (-9,7%), roubo seguido de morte (-60%), roubo em via urbana (-10,2%), roubo em comércio (-11,4%), e furto de veículos (-11,7%).

No interior do Estado dos 12 tipos de crimes monitorados pela Sejusp, 6 apresentaram queda: homicídio culposo no trânsito (-5,8%), roubo (-9,4%), roubo em via urbana (-16,3%), roubo ao comércio (-11,8%), furto de veículos (-10,5%) e furto em residências (-4,2%).

Secretário Antonio Carlos Videira diz que os números mostram o resultado dos investimentos do Governo na segurança pública

Para o titular da Sejusp, Antonio Carlos Videira, a redução nos índices de criminalidade é resultado dos investimentos em segurança pública. “Desde o ‘MS Mais Seguro’, que foi o maior programa de segurança pública da história de Mato Grosso do Sul, houveram investimentos de mais de R$ 160 milhões na nossa segurança que vão desde a capacitação dos servidores até a contratação, regularização de promoções e investimentos em tecnologias, renovação da frota, mas principalmente na inteligência que fomenta a integração e que gera os resultados que nós esperamos, ou seja, redução dos índices de criminalidade e maior sensação de segurança pública”, disse.

Apreensão de drogas

Fronteira com dois países: Paraguai e Bolívia, Mato Grosso do Sul teve aumento na apreensão de drogas. De janeiro a setembro deste ano foram 578,2 toneladas, enquanto em 2020 foram 577,2 toneladas. Desse total, o maior volume de entorpecentes apreendidos foi o do crack, com aumento de 9.687%, seguido da cocaína (161%) e pasta base, que apresentou aumento de 72%. Entre janeiro a setembro deste ano, 3.473 ocorrências de tráfico de drogas foram registradas em Mato Grosso do Sul.

“Esse ano já nos aproximamos das 580 toneladas. A maioria dessa droga tem como destino grandes centros consumidores, porém, há uma forte atuação no combate ao tráfico doméstico, aquele que fomenta crimes de furtos e roubos e nessa área também tivemos reduções importantes”, disse o secretário, citando aumento no número de viaturas, o lançamento do OCOP (Obtenção de Capacidade Operacional Plena), da Policia Militar (PMMS). “Na medida em que você fiscaliza mais o trânsito, estando mais presente na Capital e nos bairros, você consegue prevenir crimes. Tem sido uma constante as reduções e o grande desafio é manter a excelência da segurança pública em todo o Estado do Mato Grosso do Sul e mantê-lo sempre sendo o modelo para o restante do país”, concluiu.

Joilson Francelino, Sejusp

ALEMS:UNIÃO DE ESFORÇOS