Novembro Azul: saúde do homem vai além do combate ao câncer de próstata

Foto: Marcio James/Semcom/Fotos Públicas

Fonte:Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) segue com a Campanha Novembro Azul com objetivo de conscientizar a população sobre a importância aos cuidados da Saúde do Homem. Dados do Ministério da Saúde apontam que os índices de mortalidade de homens em Mato Grosso do Sul por cânceres de pênis, próstata e boca figuram entre os mais altos do país.

No próximo dia 24 de novembro, terça-feira, os debates por meio de live vão girar em torno das doenças vasculares e da saúde mental. “Você sabia que Doença Vascular também afeta os homens?” é o tema da conversa com a Dra. Marília Lomonoco Galhardo. Já “Saúde Mental e População Masculina: estratégias de prevenção e cuidado” será o bate-papo com a Dra. Patrícia Arakaki Marques.

As lives poderão ser acompanhadas pelo site telessaude.saude.ms.gov.br/forms/participe.

Câncer nos homens 

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que 65,8 mil homens devem ser diagnosticados com câncer de próstata neste ano. A doença ocupa a primeira posição no Brasil e atinge principalmente, homens a partir dos 45 anos.

Em Mato Grosso do Sul estima-se que apareçam por ano, 1,1 mil novos casos da doença para cada 100 mil habitantes.

Outro tipo de câncer considerado raro é o tumor de pênis que atinge homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir os mais jovens também. Esta doença representa 2% de todos os tipos de cânceres que atingem o homem. O Atlas de Mortalidade por Câncer registrou em 2018, 454 casos no país.

O câncer da boca (também conhecido como câncer de lábio e cavidade oral) é um tumor maligno que afeta lábios, estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua. É mais comum em homens acima dos 40 anos, e a maioria dos casos são diagnosticados em estágios avançados. O Inca estima que dos 15.190 novos casos registrados neste ano, 11.180 deverão atingir homens.

Para a técnica da Saúde do Homem da SES, Fernanda Lamera, o significado do Novembro Azul vai além do câncer de próstata, justamente, por o homem ser mais avesso às questões de saúde. “Essa campanha tem como intuito ver o homem como um todo chamando atenção da sociedade da importância da prevenção das doenças, quebrando tabus, provendo uma melhora na qualidade de vida. Vale ressaltar a importância da sensibilização aos profissionais de saúde para acolher e receber homens na atenção primária e secundária”.

Em Mato Grosso do Sul a taxa de mortalidade em razão do câncer de pênis é de 0,57%, próstata 17,19% e boca 4,63%. A recomendação da SES é que a partir dos 45 anos todos os homens devem fazer exames preventivos para detectar qualquer alteração, principalmente, na próstata. Aqueles com fatores de risco, como antecedentes de câncer de próstata ou de mama na família, e homens da raça negra, a recomendação é que façam exames a partir dos 40 anos.

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), elaborada pelo Ministério da Saúde, desenvolve políticas com estados e municípios para que possam desenvolver ações de prevenções sobre doenças que possam afetar o bem-estar da saúde dos homens. Além de campanhas que cuidam da prevenção de cânceres, doenças cardiovasculares também entram na mira, bem como, a importância de se alimentar bem.

Novembro Azul

Novembro Azul é o nome dado ao movimento internacional criado para a conscientização do câncer de próstata e alertar os homens da importância do diagnóstico precoce. Criado em 2003, o mês de novembro foi escolhido, por causa do dia 17 de novembro que é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

No entanto, para o Ministério da Saúde, este mês vêm sendo oportuno para sensibilizar os homens e os profissionais de saúde quanto às ações do autocuidado e cuidado integral considerando os fatores socioculturais relacionados à masculinidade e ao adoecimento. Toda a comunicação envolvida se baseia na promoção, proteção e prevenção para cuidados integrais em saúde.

Rodson Lima, SES

http://assomasul.org.br/