Prefeitos lamentam retirada dos municípios do texto da reforma

O presidente da Assomasul, Pedro Caravina, defende a manutenção do movimento municipalista em favor da proposta

Os prefeitos lamentam a retirada dos municípios do relatório da reforma da Previdência, cuja decisão foi anunciada esta semana pelo deputado federal Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 6/2019.

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e integrante do Conselho Político da CNM (Confederação Nacional de Municípios), Pedro Caravina (PSDB), esteve várias vezes em Brasília defendendo a inclusão dos municípios no relatório.

Caravina  defende a manutenção do movimento municipalista em favor da proposta.

Da mesma forma, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), em reunião recente com os colegas e correligionários tucanos João Doria (PSDB-SP) e Eduardo Leite (PSDB-RS), manifestou apoio a inclusão de estados e municípios no texto da proposta de reforma previdenciária.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o presidente da República, Jair Bolsonaro, já manifestaram que o ideal é manter estados e municípios na proposta.

A CNM, por sua vez, reforça que se isso não ocorrer, 2.108 municípios e 70% dos servidores públicos municipais não serão contemplados com as novas regras.

Segundo os municipalistas reunidos na Confederação, a limitação representa um prejuízo enorme aos cofres e ao sistema, que precisa ser integrado.

MOVIMENTO MUNICIPALISTA

Pax Primavera