Sanesul lança nota sobre qualidade de água oferecida aos consumidores

Foto: Ilustrativa

Sanesul garante que investimentos em novas tecnologias e equipamentos garantem qualidade da água que distribui

A Sanesul – Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul e que mantém atualmente operações em 68 municípios do Estado, tem investido em tecnologias inovadoras, produtos, equipamentos e em testes diários que asseguram a qualidade da água distribuída à população nas 128 localidades onde opera.
A Companhia mantém os padrões de qualidade exigidos pela legislação brasileira que determina os parâmetros da potabilidade da água utilizada para abastecimento público e monitora com rigor, a captação, tratamento e distribuição de toda a água que fornece diariamente a seus clientes.

A Empresa possui um laboratório Central onde processa as análises de maior complexidade e 10 Laboratórios Regionais onde são realizadas as análises de maior frequência. Para controle dos padrões de potabilidade da água, a empresa mantém além do laboratório central, localizado na capital outras dez regionais instaladas nas cidades de Aquidauana, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas.

Nessas localidades são processadas mensalmente mais de 8 mil análises microbiológicas e físico químicas, que asseguram a manutenção dos padrões estabelecidos pela legislação.
Além disso, em cada uma das localidades são realizadas analises de controle operacional. A Sanesul ressalta ainda que em nenhuma das análises realizadas em seus laboratórios, fora detectado qualquer vestígio de resíduos químicos ou grau de contaminação que pudesse superar o Valor Máximo Permitido (VMP) pela Portaria de Consolidação 5, anexo XX, do Ministério da Saúde. Como forma de garantir transparência, a Sanesul disponibiliza aos seus consumidores, o resultado de suas análises que é impresso nas contas de água enviadas às residências.


O cidadão pode ainda acessar os dados a qualquer momento, no site da SISAGUA.
A Sanesul considera que as recentes reportagens veiculadas na mídia utilizaram informações do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), mas, percebe-se claramente, de forma bastante superficial. O estudo como se sabe é amplo, complexo e exige avaliações mais aprofundadas e criteriosas por parte de todos os envolvidos e interessados.
A Sanesul reitera seu compromisso com a qualidade da água que capta, trata e distribui e reafirma que seus laboratórios segundo rigorosamente todas as normas estabelecidas e que estão em vigor no país.
Fonte: ASSECOM

Entenda o Caso

ESCLARECIEMNTO DO IMASUL A RESPEITO DA NOTICIA DE AGROTÓXICOS NAS ÁGUAS DO MS

O IMASUL em face da notícia veiculada pelos diversos canais de comunicação sobre o levantamento que apontou que 1 em cada 4 cidades brasileiras tem água contaminada por 27 tipos de agrotóxicos, informa que mantém controle rigoroso do licenciamento ambiental e fiscalização da venda, aplicação e armazenamento de produtos agrotóxicos, bem como a necessidade da tríplice lavagem e retorno das embalagens vazias.

A Resolução SEMADE nº 09/2015 deixa claro a necessidade de licenciamento para as seguintes atividades que envolvem agrotóxicos: 1) Aviação agrícola; 2) Estabelecimentos comerciais e depósitos; 3) Estabelecimentos de recebimento de embalagens vazias; 4) Empresa dedetizadora; 5) Tratamento fitossanitário.

Além do atendimento à legislação, entre eles a Resolução CONAMA 465/2014, Resolução SEMADE 09/2015, há necessidade de apresentação do controle técnico e estudos mais específicos, entre eles: a) PAM – Plano de automonitorameto; b) PBA – Projeto básico ambiental; c) PGRA – Programa de gestão de resíduos de agrotóxicos. Todas essas medidas são requeridas pelo IMASUL para permitir o desenvolvimento sustentável, de forma a não poluir o meio ambiente em especial as águas.

A fim de acompanhar o atendimento aos padrões de qualidade ambiental definidos tanto a nível nacional (Resolução CONAMA 357/2005) como em nível estadual (Deliberação CECA 036/2012) o IMASUL monitora a qualidade das águas superficiais por meio de 165 pontos de monitoramento, distribuídos 12 sub-bacias hidrográficas contemplando 40 parâmetros físico, químicos e biológicos. Esses dados mostram que as águas dos rios monitorados apresentam boa qualidade.

Pax Primavera