Sobe para 84 número de mortos na tragédia de Brumadinho; 276 seguem desaparecidos

Última atualização do número de mortes era da noite de segunda (28), com 65 mortes

Subiu para 84 o número de mortes confirmadas em decorrência do rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de BH. Outras 276 pessoas ainda estão desaparecidas. A informação foi divulgada pelo coordenador da Defesa Civil do estado, major Flávio Godinho, na noite desta terça-feira.

A última atualização do número de mortes era da noite de segunda (28), quando os bombeiros confirmaram 65 mortes. Na manhã desta terça, o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, afirmou que a expectativa era de que esse número aumentasse, o que se confirmou.

As equipes de busca têm se concentrado nas áreas onde foi encontrado um segundo ônibus submerso na lama e no local das instalações do refeitório da Vale. Segundo Aihara, cerca de 30 militares brasileiros e 100 homens das forças de Israel estão incumbidos das buscas nos dois locais. O restante da equipe trabalha em outros 14 pontos de busca.

A estimativa é de que sejam encontradas vítimas em um raio entre 800 metros e 1 quilômetro do refeitório.
Em coletiva de imprensa, Aihara destacou que os aparatos israelenses têm se mostrado úteis para as equipes que atuam em Brumadinho, contribuindo para o mapeamento do sinal de telefones celulares e no reconhecimento de vestígios de edificações. Materiais como concreto e ferro, por exemplo, oriundos de imóveis, seriam capazes de sinalizar uma maior probabilidade de haver corpos de vítimas nas proximidades, explicou.

“Há um outro recurso: drones ligados a satélites, que auxiliam no mapeamento da área atingida. A partir das coordenadas, podemos fazer um georreferenciamento e, com a colaboração de pessoas que estão lá em Israel, determinamos de onde e aonde atingidos foram deslocados”, complementou.

O tenente também alertou para o respeito às regras do espaço aéreo na região, uma vez que drones não autorizados estariam atrapalhando as equipes de resgate. Um homem que utilizava o equipamento de forma irregular foi identificado e será responsabilizado com a ajuda da Força Aérea Brasileira (FAB).

por:Topmidia

Pax Primavera