VERSÃO EVANGÉLICA DE ‘DESPACITO’ BOMBAM NA REDE

Há cerca de duas semanas, eles tiveram a seguinte ideia: fazer uma versão de Despacito, sucesso chiclete de Luis Fonsi, e usar a melodia para promover a mensagem deles. O resultado foi que o vídeo explodiu.

Em seu vídeo, com mais de 2 milhões de visualizações, Neto chama o clipe de hipócrita, mas não critica a religião. Thiago e Ihasmyn publicaram um vídeo resposta em que apresentam o seu lado dos fatos e até agradecem ao youtuber pela visibilidade: “Não digo que não exista propaganda ruim. Mas se ele tentou nos atingir de alguma forma ele não conseguiu”, disse Thiago.

Para ele, a crítica do Felipe Neto foi ok, pois se refere estritamente ao vídeo: “Ficamos muito felizes de ele não ter falado mal do evangelho ou dos evangélicos ou de Jesus. Mas sim uma crítica de uma mensagem que ele acredita ser equivocada. Mas cada um vive e luta pelo que acredita. E apesar da crítica, ele tá divulgando a mensagem”, conclui.

De qualquer forma, ter um canal evangélico significa muitas vezes se expor. Quanto a isso, Thiago diz que o casal já está encouraçado: “A Bíblia diz que devemos agradecer por sermos perseguidos por amor a Cristo. Então, sim. Já estamos acostumados com críticas. E não, isso não nos incomoda. Se a crítica for pra gente, isso não nos incomoda”.

ões de visualizações, Neto chama o clipe de hipócrita, mas não critica a religião. Thiago e Ihasmyn publicaram um vídeo resposta em que apresentam o seu lado dos fatos e até agradecem ao youtuber pela visibilidade: “Não digo que não exista propaganda ruim. Mas se ele tentou nos atingir de alguma forma ele não conseguiu”, disse Thiago.

Para ele, a crítica do Felipe Neto foi ok, pois se refere estritamente ao vídeo: “Ficamos muito felizes de ele não ter falado mal do evangelho ou dos evangélicos ou de Jesus. Mas sim uma crítica de uma mensagem que ele acredita ser equivocada. Mas cada um vive e luta pelo que acredita. E apesar da crítica, ele tá divulgando a mensagem”, conclui.

De qualquer forma, ter um canal evangélico significa muitas vezes se expor. Quanto a isso, Thiago diz que o casal já está encouraçado: “A Bíblia diz que devemos agradecer por sermos perseguidos por amor a Cristo. Então, sim. Já estamos acostumados com críticas. E não, isso não nos incomoda. Se a crítica for pra gente, isso não nos incomoda”.

Chamado de Je-sus Cristo, o clipe fala sobre uma jovem que se sente desconfortável na balada e ao poucos vai encontrando o seu caminho na fé. Não é nada revolucionário, mas se a ideia era ser ouvido, deu certo: o feedback – positivo e negativo – foi imediato.

No momento da escrita desta matéria, o clipe já beirava as 480 mil visualizações no Youtube e já estava quase em 2 milhões de acessos no Facebook. Tudo isto números muito impressionantes para o canal de proporções modestas do casal. E já repercutiu na imprensa nacional, saindo em veículos como Uol, O Globo e Extra.

Thiago contou que todo o processo aconteceu em uma semana, num corre-corre danado. “No dia 13 de maio estávamos viajando para Formosa pra ministrar a Palavra na igreja. Na viagem fomos cogitando a ideia de fazer a parodia, mas minha esposa estava com restrições. Surgiram várias paródias e todas humor pelo humor. E nós não queríamos isso”, portanto, tiveram a ideia de adicionar algum conteúdo, uma mensagem ao seu público: “Na volta da viagem, dia 14, dia das mães, decidimos que faríamos a paródia mas que seria com um conteúdo relevante e evangelístico”.

Depois disso foi sentar, escrever a letra e pegar a melodia: “Ouvimos a música MILHÕES de vezes pra pegar o ritmo e ir ficando familiar a letra. Minha esposa, Ihasmyn, sugeriu que o enredo fosse de uma moça que tá na balada mas sentindo um vazio e mostraríamos Deus como solução pra preencher esse vazio”, conta Thiago. Aí, foi fazer a letra, processo que foi surpreendentemente rápido, o que Thiago, bastante fiel, atribui à inspiração divina: “Na segunda, dia 15, sentamos, eu e minha esposa, e começamos a escrever. Em 1h30 escrevemos a música. Fomos ouvindo frase por frase da música e escrevendo frase a frase da paródia, pois estávamos querendo uma mensagem com sentido mas com as terminações de frases parecidas com a da música original pra quando cantasse ficasse semelhante”.

À noite eles já gravaram a canção no estúdio e no dia seguinte gravaram o clipe em apenas duas horas em parceria com Antônio Netho da Collor Filmes, edição de Afonso Cancela, cores de Glênio Júnior e maquiagem de Izabella Maquiagens. Até quinta-feira já estava tudo pronto, indo ao ar na sexta, tudo feito em uma semana.

Segundo Thiago, o efeito foi imediato. Ele diz já ter perdido o controle das visualizações, já que outras páginas repostaram o conteúdo e ele também se espalhou pelo WhatsApp. Além disso, não sem uma boa dose de controvérsias, o clipe foi exibido na íntegra no canal do Felipe Neto, um dos maiores Youtubers do Brasil, com 11 milhões de inscritos, que criticou a gravação.

Em seu vídeo, com mais de 2 milhões de visualizações, Neto chama o clipe de hipócrita, mas não critica a religião. Thiago e Ihasmyn publicaram um vídeo resposta em que apresentam o seu lado dos fatos e até agradecem ao youtuber pela visibilidade: “Não digo que não exista propaganda ruim. Mas se ele tentou nos atingir de alguma forma ele não conseguiu”, disse Thiago.

Para ele, a crítica do Felipe Neto foi ok, pois se refere estritamente ao vídeo: “Ficamos muito felizes de ele não ter falado mal do evangelho ou dos evangélicos ou de Jesus. Mas sim uma crítica de uma mensagem que ele acredita ser equivocada. Mas cada um vive e luta pelo que acredita. E apesar da crítica, ele tá divulgando a mensagem”, conclui.

De qualquer forma, ter um canal evangélico significa muitas vezes se expor. Quanto a isso, Thiago diz que o casal já está encouraçado: “A Bíblia diz que devemos agradecer por sermos perseguidos por amor a Cristo. Então, sim. Já estamos acostumados com críticas. E não, isso não nos incomoda. Se a crítica for pra gente, isso não nos incomoda”

Fonte:Conteudo ms

Pax Primavera